3 motivos do crescimento da Indústria Vegana no Brasil

indústria vegana

A indústria vegana no Brasil cresceu muito nos últimos anos. Os números mostram que existem quase 30 milhões de brasileiros veganos, representando 14% da população. Além disso, segundo dados da Nielsen, encomendados pela Associação de Alimentos Baseados em Plantas (PBFA), a indústria de alimentos vegetais cresceu 20%. Para a diretora executiva da PBFA, Michele Simon, essa indústria “não é mais nicho”.

Diante desse desenvolvimento, é válido se questionar sobre quais são os motivos por trás do aumento da popularidade do veganismo. O relatório “The green revolution”, resultado de pesquisas qualitativas e quantitativas nos dá um certo embasamento sobre as causas.

Isso porque, as respostas mais frequentes para a adoção do estilo de vida vegano foram:

  • por motivos de saúde 17%; 
  • pela sustentabilidade ambiental 21%;
  • pela ética e bem-estar animal 57%. 

Pensando nisso, explicaremos para você mais detalhes sobre cada um desses motivos. 

3 principais motivos do crescimento da Indústria Vegana no Brasil

  • Saúde 

A saúde é uma das maiores preocupações dos consumidores e influencia muito no crescimento da indústria vegana no Brasil. Logo, a busca por alimentos nutritivos e saudáveis está cada vez maior, enquanto os alimentos mais nocivos, menor.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o consumo excessivo de carne vermelha e embutidos podem favorecer o surgimento de câncer. Em contrapartida, um estudo com mais 60 mil pessoas, provou que as dietas baseadas em vegetais, reduzem o risco de tumores. 

Só a partir desse contraste já é possível notar grandes mudanças, o que, por sua vez, não são por acaso. Até porque os alimentos de origem vegetal tem grande presença antioxidantes excelentes para reduzir riscos para a saúde. 

Os alimentos de origem vegetal são excelentes fontes de proteínas, carboidratos, gorduras boas, vitaminas, minerais e fibras. Todos esses itens são essenciais para a manutenção de todas as funções do corpo. 

A farinha de feijão é um ótimo exemplo disso. Afinal, esse alimento é rico em proteínas, vitaminas e minerais, e conta com fibras solúveis e insolúveis altamente benéficas. 

As fibras solúveis reduzem os níveis de colesterol no sangue. A fibra insolúvel ajuda na digestão e nos movimentos intestinais regulares. Como qualquer alimento rico em fibras, feijão ou leguminosas, por exemplo, são alimentos mais recheados, contribuindo no controle da saciedade.

As dietas ricas em vegetais ainda costumam ser muito menos calóricas. Tendo isso em mente, não é difícil entender porque o veganismo contribui no combate à obesidade, diabetes e problemas cardíacos.

  • Respeito pela vida

O respeito pela vida também é uma consideração real dos consumidores. Por isso, a pecuária tende a ser uma opção pouco relevante para quem tem esse tipo de preocupação. O que também favorece bastante o crescimento da indústria vegana no Brasil.

Segundo um levantamento da ONU, pelo menos 70 bilhões de animais no mundo são criados para serem abatidos. E, além da crueldade a qual são submetidos, vacas, porcos e galinhas consomem muito mais alimento do que produzem. 

Em média, para cada mil calorias produzidas sob a forma de carne, um animal consome cerca de 10 mil calorias. Ou seja, há um desperdício de 90% do alimento consumido. Considerando que a fome ainda é um desafio que muitos humanos ainda sofrem, é uma porcentagem triste.

Documentários como “Cowspiracy – A conspiração da vaca” e “A carne é fraca” retratam a crueldade dessa indústria com exemplos reais. 

  • Preocupação com o meio ambiente

O alto consumo de água doce, também é um fator preocupante e que motiva o fortalecimento do veganismo. Para se ter ideia, para cada 1 kg de carne são necessários pelo menos 15.400 kg de água para ser produzida. A ONU também já emitiu um alerta sobre a pecuária ser o setor que mais polui as águas do mundo de maneira irreversível. 

Outro ponto importante é que, segundo o levantamento do IBGE, 91% do desmatamento da Floresta Amazônica é causado pela pecuária. Em outras palavras, quanto mais a indústria da pecuária cresce, mais o desmatamento aumenta. 

Portanto, hoje a origem do alimento importa mais do que nunca. Isso porque, há relação com os impactos gerados na vida dos seres humanos e na dos animais, além do próprio meio ambiente. Tudo isso é relevante para os consumidores e influencia no crescimento da Indústria Vegana no Brasil.

Compartilhar:

Mais Postagens